Paróquia



A Paróquia de São José, de Cravinhos, cujos limites são os mesmos do município, confina com as de São Simão, Vila Bonfim e Ribeirão Preto, foi desmembrada desta última e criada paróquia por decreto de 18 de março de 1898, sendo Vigário Capitular da Diocese de São Paulo - Sede Vacante, o Cônego Ezechias Galvão de Fontoura, por morte de D. Lino Rodrigues de Carvalho, Chefe do Bispado.

O seu primeiro Pároco foi o Padre Giácomo de Petris, nomeado por provisão de 28 de abril de 1898.
Por provisão do Revmo. Cônego Manuel Vicente da Silva, Governador do Bispado - Sede Vacante - de 08 de agosto de 1900, foi nomeada uma comissão para a construção da Igreja Matriz.

Os atos religiosos nessa ocasião eram celebrados numa Capela particular do finado Francisco Rodrigues dos Santos Bonfim, capela essa deixada aos seus herdeiros e que depois foi doada à paróquia e entregue à Irmandade de São Benedito, sendo seu zelador o Sr. Pio de Lima.

A comissão encarregada e nomeada pela autoridade diocesana para a construção da Matriz era composta pelos seguintes senhores: Presidente, Padre Giácomo de Petris; Presidente honorário, Dr. José Alves Guimarães Júnior; Vice-presidente, Jordão Gonçalves Saracura; Tesoureiro, Luiz Paulo de Medeiros; Secretário, Cel. José Pinto de Miranda; Vice-secretário, Américo Vieira; e Diretor-engenheiro, Dr. Rufino de Almeida.

Em 02 de outubro de 1900, no meio de grande concurso do povo, presente o Revmo. Vigário da Paróquia, Padre Francisco Botti, acolitado pelos Revmos. Cônegos Joaquim Antônio Siqueira e Victor Fabiani, foi solenemente lançada a primeira pedra fundamental da nova Matriz, inaugurada a 23 de junho de 1905 pelo mesmo Vigário Padre Francisco Botti, sendo as obras começadas no dia 27 de maio de 1903.

O Padre Francisco Botti foi nomeado Vigário por provisão de 22 de maio de 1903, funcionando na paróquia até 22 de fevereiro de 1907, sendo seu substituto o Sr. Cônego Francisco Claro de Assis, nomeado por provisão da mesma data.

Em 15 de outubro de 1905, foi canonicamente ereta por Frei Raymundo, da Ordem dos Dominicanos, com autorização da Diocese, a Irmandade de Nossa Senhora do Rosário.

Em substituição ao Cônego Francisco Claro de Assis, falecido e sepultado nesta paróquia, foi por provisão de 02 de maio de 1909, nomeado Vigário o Revmo. Padre João Macário Monteiro que até o presente conserva-se como chefe da paróquia.

A primeira Visita Pastoral feita foi a 02 de dezembro de 1909, por Dom Alberto José Gonçalves, primeiro Bispo da Diocese de Ribeirão Preto.

A Igreja Matriz atual é de estilo romano e tem 26,80 m de comprimento por 13,50 m de largura."

(As datas foram corrigidas de acordo com o Livro de Tombo da Paróquia)




PÁROCOS

· Padre Giácomo de Petris (1898 a 1903)

· Padre Francisco Botti (1903 a 1907)

· Padre Francisco Claro de Assis (1907 a 1909)

· Padre João Macário Monteiro (1909 a 1926)

· Frei Xysto Lopes, OAR, (fevereiro de 1926)

· Padre Francisco Gonçalves Chaves (março de 1926 a 1933)

· Monsenhor Joaquim Elysio Cavalcanti - Vigário

· Padre Júlio Cavalcanti - Auxiliar (de fevereiro a abril de 1933)

· Padre Luiz Gonzaga dos Santos Pereira (de abril a dezembro de 1933)

· Padre Suitberto Bucci, OSB, (de dezembro de 1933 a janeiro de 1934)

· Padre João Osório da Fonseca (1934 a 1946)

· Padre Francisco Paulo Siino (1946 a 1949)

· Padre Tito Monteiro Vita (1949 a 1957)

· Padre Luiz Eugênio Perez (1957 a 1970)

· Padre Genaro Zito - Coadjutor (1963)

· Padre José Méier - Coadjutor (1964)

· Padre André Agazzi, SSS (1970 a 1982)

· Padre Lucas Dayu Chiba, SSS - Coadjutor (1975 a 1982)

· Padre Giovanni Pizzetti, SSS (1982 a 1985)

· Padre Lucas Dayu Chiba, SSS - Coadjutor (1982 a 1985)

· Cônego Aguimar Luiz de Paula Marques (1985 a 1996)

· Padre Ronaldo Ferreira Vianna (1996 - )

· Padre Antônio Carlos Roberto da Paz - Vigário Paroquial (1996)

· Padre João Carlos Pedroza - Vigário Paroquial (1998)



DIÁCONOS PERMANENTES

· Sebastião Marcelino de Oliveira (ord. 1983)

· Antônio Ardenghe (ord. 1983)

· João Jácomo Grazziani Thomazelli (ord. 1983)



PARÓQUIA SANTA LUZIA

 Criada por decreto de 13 de dezembro de 2000, por Dom Arnaldo Ribeiro, Arcebispo Metropolitano, para melhor atendimento do povo de Deus na cidade de Cravinhos, tem seu primeiro Pároco, Padre José Humberto Mota, desde a mesma data.

 A Paróquia Santa Luzia foi o sonho do Padre Giovanni Pizzetti, SSS que sensibilizado diante da necessidade da população carente, dos novos bairros de Cravinhos, estendendo-se ao longo da Av. Pedro Amoroso, pensou numa igreja que atendesse toda aquela porção da paróquia.

 Pediu ao Sr. João Berbel, proprietário de larga faixa de terras junto à avenida, a doação de um lote para a construção de uma igreja. O Sr. João Berbel, de acordo com o registro do livro de tombo feito pelo próprio pároco, prontamente consentiu e gentilmente permitiu que o padre escolhesse o local.

 A construção iniciou-se no dia 04 de outubro de 1983 e foi inaugurada no dia 13 de dezembro de 1984. Os recursos financeiros foram obtidos por promoções como quermesses e jantares, e doações. Destaca-se o trabalho para donativos em prol da nova igreja da Prof. Leda de Oliveira Moreira e do Sr. Antônio Olivito.

 A escolha da padroeira se deve a um pedido do doador ao Padre Giovanni, de ser Santa Luzia, pois, Luzia era o nome da mãe do Sr. João Berbel.



Página:    
               





© Todos os direitos reservados - Arquidiocese de Ribeirão Preto - Paróquia São José
Desenvolvido por Gasper Soft - Processamento de Dados - contato@emporiobrasil.eti.br