Arquidiocese



"Esteve em nossa redação, ontem, o estimado vigário Sr. Cônego Joaquim Antônio de Siqueira, que em Campinas conferenciara com o bispo diocesano Sr. D. Duarte Leopoldo, a respeito de sua vinda a esta cidade dos motivos que o trazem até aqui, os quais, como já noticiamos, são os da criação do Bispado entre nós.

Disse-nos o Sr. Cônego Joaquim que S. Exa. Revma. chegará efetivamente a esta cidade, na segunda-feira, 20 do corrente, pelo trem rápido e em carro reservado oferecido pela Companhia Mogiana.

A recepção ao Sr. D. Duarte Leopoldo será imponentíssima.

Da estação seguirá S. Exa. para a casa do Sr. Cel. Schmidt, cedida ao Sr. Cônego Joaquim, para hospedar o Sr. Bispo.

Ali será então S. Exa. saudado em nome da população católica de Ribeirão Preto pelo Sr. Dr. Afonso Dionízio Gama.

Não haverá discursos na estação, medida esta que achamos acertada.

O Sr. Bispo não fará a cerimônia de visita à Matriz no mesmo dia de sua chegada.

Só no dia seguinte, e depois de serem ouvidas as suas determinações se realizarão as solenidades na matriz e a reunião das Comissões, para deliberação do motivo principal de sua vinda a esta cidade - a criação do Bispado.

As comissões da construção da matriz serão apresentadas a S. Exa. Revma. pelo Dr. Augusto Loyolla que, como um dos seus membros, também as representará perante a autoridade diocesana.

D. Duarte Leopoldo demorar-se-á nesta cidade até quarta-feira, regressando na quinta-feira 23, para São Paulo.

Durante a sua estada nesta cidade S. Exa. ministrará a Crisma na Igreja-Matriz.

Pede-nos o Revmo, Cônego Joaquim fazermos ciente ao público que os maiores de 9 anos precisam confessar-se para serem crismados.

Compartilhando, como humilde Vigário da paróquia, da satisfação da Exma. Autoridade Diocesana e vendo que com a criação do Bispado não só a Cidade como a zona da Diocese seria enriquecida de graças especiais, como também de grande aumento e desenvolvimento religioso, respondi que se a nossa residência servisse, estava à disposição do Bispado. Sua Exa., aceitando minha oferta, disse que a casa era muito boa e superior às das outras sedes dos Bispados, e concluiu agradecendo à grande comissão a sua espontaneidade tão nobre incumbência.

Passaram-se os tempos e nenhuma iniciativa partiu da nobre comissão.

Vendo o infundado conceito que corria sobre o espírito e religiosidade dos fiéis desta paróquia, onde tenho consagrado com amor e dedicação parte da minha existência, dirigi-me ao Exmo. e Revmo. Sr. Bispo Diocesano, expondo-lhe os acontecimentos, e pedindo autorização para percorrer as paróquias que deviam fazer parte do Bispado, com o fim de estabelecer Comissões parciais e conseguir, com o auxílio dos Revmos. Srs. Vigários, donativos para a constituição do Bispado. O Exmo. Sr. Bispo com uma carta animadora e muito honrosa, deu-me plena faculdade para fazer o que meu espírito ditasse em favor de tão boa causa, cujos documentos com os mais papéis referentes à Diocese e Catedral ficam arquivados na Cúria episcopal".

Outro expediente do qual teve que se servir o Côn. Siqueira para vencer os problemas que se lhe colocavam foi, como se disse acima, o de fazer visitas às paróquias que formariam a diocese de Ribeirão Preto. A carta à qual se refere o Cônego Siqueira, na qual Dom Duarte o autorizou a assim proceder, é a seguinte:

"São Paulo, 26 de Junho de 1907.

Revmo. Snr. Cônego Siqueira
Laudetur Jesus Christus.

É digno de louvor o empenho de V. Revma. pela constituição do patrimônio da diocese de Ribeirão Preto.

Compartilhando, como humilde Vigário da paróquia, da satisfação da Exma. Autoridade Diocesana e vendo que com a criação do Bispado não só a Cidade como a zona da Diocese seria enriquecida de graças especiais, como também de grande aumento e desenvolvimento religioso, respondi que se a nossa residência servisse, estava à disposição do Bispado. Sua Exa., aceitando minha oferta, disse que a casa era muito boa e superior às das outras sedes dos Bispados, e concluiu agradecendo à grande comissão a sua espontaneidade tão nobre incumbência.

Passaram-se os tempos e nenhuma iniciativa partiu da nobre comissão.

Vendo o infundado conceito que corria sobre o espírito e religiosidade dos fiéis desta paróquia, onde tenho consagrado com amor e dedicação parte da minha existência, dirigi-me ao Exmo. e Revmo. Sr. Bispo Diocesano, expondo-lhe os acontecimentos, e pedindo autorização para percorrer as paróquias que deviam fazer parte do Bispado, com o fim de estabelecer Comissões parciais e conseguir, com o auxílio dos Revmos. Srs. Vigários, donativos para a constituição do Bispado. O Exmo. Sr. Bispo com uma carta animadora e muito honrosa, deu-me plena faculdade para fazer o que meu espírito ditasse em favor de tão boa causa, cujos documentos com os mais papéis referentes à Diocese e Catedral ficam arquivados na Cúria episcopal".

Outro expediente do qual teve que se servir o Côn. Siqueira para vencer os problemas que se lhe colocavam foi, como se disse acima, o de fazer visitas às paróquias que formariam a diocese de Ribeirão Preto. A carta à qual se refere o Cônego Siqueira, na qual Dom Duarte o autorizou a assim proceder, é a seguinte:

"São Paulo, 26 de Junho de 1907.

Revmo. Snr. Cônego Siqueira
Laudetur Jesus Christus.

É digno de louvor o empenho de V. Revma. pela constituição do patrimônio da diocese de Ribeirão Preto.







Página:
                       





© Todos os direitos reservados - Arquidiocese de Ribeirão Preto - Paróquia São José
Desenvolvido por Gasper Soft - Processamento de Dados - contato@emporiobrasil.eti.br